Foto: Vinícius Schmidt

Governo lançará call center com psicólogos para orientar a população em quarentena

Novidade foi apresentada pelo governador durante uma live, nesta sexta-feira, 23. Na ocasião, Caiado se comprometeu a fazer transmissões diárias para discutir assuntos de interesse da população nesse período de isolamento social

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, em que a população precisa se manter em isolamento social – como uma das formas para conter a disseminação do vírus –, saber cuidar da saúde mental é fundamental. Pensando nisso, o Governo de Goiás, por meio da Superintendência de Saúde Mental da Secretaria de Estado da Saúde (SES), lança, nos próximos dias, uma central de atendimento com psicólogos para auxiliar a população nesse período de quarentena.

O anúncio da ferramenta foi feito durante um bate-papo entre o governador Ronaldo Caiado e a psicóloga e superintendente de Saúde Mental da SES, Candice Rezende. A conversa foi transmitida ao vivo, nesta segunda-feira, 23, pelas redes sociais do governo e pelas rádios que compõem a Agência Brasil Central (ABC) e emissoras parceiras. Na ocasião, o governador se propôs também a fazer novas transmissões, diariamente, às 17h, para esclarecer dúvidas e discutir assuntos de interesse dos goianos.

Médico por formação, Caiado destacou que é importante controlar a ansiedade neste momento. “Precisamos cuidar das pessoas. E o call center serve para fazer essa acomodação e orientação do que se deve fazer”, pontuou. A psicóloga Candice ressaltou que o call center será um meio de comunicação para acolher a população. Segundo ela, será “uma escuta cuidadosa e mais técnica” e, nos próximos dias, será divulgado o número de telefone e também outros meios para entrar em contato com a central.

Além disso, também será disponibilizado material gráfico para todas as mídias com técnicas e orientações de como manter a saúde mental em casa. “Tem que ser um protocolo. Da mesma maneira que temos normas de como chegar em casa e fazer nossa limpeza, a gente tem que entender que nosso aparato mais importante é a nossa mente, ela domina tudo”, sublinhou a psicóloga.

Durante o bate-papo, Candice Rezende frisou a importância de se manter uma rotina semelhante a de antes da quarentena, aliando alimentação saudável e atividade física. “O corpo tem memória com relação a sono, alimentação e metabolismo. Se a gente rompe de forma abrupta, causamos um problema não só emocional, mas sobre a saúde. Uma vez não estando bem, nosso sistema imunológico cai e ficamos suscetíveis não só ao coronavírus, mas também a outras doenças oportunistas”, argumentou.

Para ajudar nessa rotina, o governador lembrou que, para os alunos da rede estadual, a Secretaria de Educação (Seduc) já disponibilizou diversos conteúdos por meio da internet. “Estamos ampliando ao máximo todas as formas para ocuparmos as crianças e os jovens”, disse. Caiado afirmou que entende o desconforto com as restrições, mas que o governo já atua para tentar encontrar alternativas.

O governador pediu também um esforço especial aos mais idosos. “Vamos criar alternativas, buscar um ambiente saudável para suportar esse período. E, para isso, a importância da família é fundamental”, citou Caiado.

Fake news
Ainda durante a conversa, tanto o governador quanto a psicóloga pontuaram o quanto as notícias falsas têm atrapalhado a população nesse período. Caiado disse que ele mesmo já recebeu centenas de fake news. Inclusive, relatou um áudio de uma colega médica, que acredita ser montagem, em que há a informação falsa de que a rede de saúde do Estado está colapsada.

“Não temos no Estado um caso grave internado. Só em Anápolis, que o paciente é acompanhado por ter um quadro respiratório. Vamos ter paciência. Todos os dados estão sendo repassados. Somos um governo transparente e responsável. Vamos sempre mostrar a realidade, até porque a responsabilidade não é só do governador, mas de todos nós”, enfatizou.

Outra recomendação da psicóloga é que o cidadão crie o hábito de ter um horário e escolher um meio de comunicação fidedigno para se atualizar uma vez ao dia. “Não fique entrando nas redes sociais e disseminando notícias que muitas vezes são fake news. Isso só faz piorar o seu quadro. Olhei as notícias, me atualizei, chega. Não vou ficar falando desse assunto em casa, viver isso 24 horas. Se a gente ficar fazendo isso, daqui uns dias vamos ter pessoas adoecidas e colapsando ainda mais o nosso sistema de saúde, principalmente, na questão psiquiátrica”, alertou.

Otimismo
Caiado finalizou a live dizendo que não existe ninguém mais otimista do que ele, mas que isso não o exime da responsabilidade de impor regras claras e restritivas para superarmos este momento. Segundo ele, atitudes firmes são necessárias para evitar a propagação do coronavírus e para que não sejamos espectadores de um desastre.

O governador acrescentou ainda que a rigidez das ações não é porque a “situação está incontrolável”. “Pelo contrário. Nós estamos numa situação privilegiada hoje. Modéstia à parte, hoje, Goiás tem um quadro onde sabemos quem é o paciente que está contaminado e por quem foi contaminado. E está, com todo controle, nas mãos das nossas equipes de saúde da família, nossos agentes comunitários da saúde, como também nosso pessoal da política da assistência social nos municípios e dos médicos e colegas enfermeiros”.