Foto: Vinícius Schmidt

Caiado defende a permanência de Mandetta à frente do Ministério da Saúde

Durante live, nesta segunda-feira, 6, o governador também anunciou o início das obras do Hospital de Campanha de Águas Lindas e novas medidas de socorro financeiro a micro, pequenas e médias empresas

O governador Ronaldo Caiado declarou, mais uma vez, seu apoio e admiração ao trabalho desenvolvido pelo Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Diante da perspectiva de que Mandetta pudesse ser afastado do cargo, segundo informações divulgadas pela imprensa nacional, nesta segunda-feira (6/4), Caiado defendeu a permanência do ministro e definiu a situação como preocupante. “É uma pessoa extremamente competente e eu estou torcendo muito para que não aconteça a sua demissão. É uma pessoa preparada, um homem que tem uma experiência ímpar e a capacidade de se comunicar com o mundo todo”, destacou. A declaração foi feita durante a live diária que o governador tem feito para esclarecer temas relacionados ao enfrentamento do coronavírus no Estado.

Segundo Caiado, Mandetta possui um conhecimento imprescindível neste momento de crescimento da epidemia da Covid-19 no Brasil. Isto porque, desde o início da pandemia, com a repatriação dos brasileiros que viviam na China, o ministro tem mantido um estreito relacionamento com médicos e pesquisadores de todo o mundo. “Ele acumula hoje um nível de informação, que é importante. Tomara Deus que ele fique. É fundamental para o presidente da República ter um ministro da qualidade e do quilate do Mandetta”, reforçou. No início da noite, o presidente Jair Bolsonaro decidiu manter o ministro à frente da pasta.

Sobre o combate ao novo coronavírus em Goiás, o governador ressaltou que a cidade de Águas Lindas, no Entorno do Distrito Federal, começou a receber nesta segunda-feira caminhões carregados com a estrutura para a montagem de um hospital de campanha modular na região e lembrou que a unidade será a primeira instalada no país pelo Governo Federal. “É um hospital em módulos, que será instalado dentro de uma estrutura que depois será removida, mas é uma estrutura para 200 leitos, com rede de oxigênio em todas as camas, 40 leitos de UTI, 160 leitos de semi-intensivo que vão dar para nós uma retaguarda muito grande”, anunciou. Caiado tem declarado sua preocupação com a região do Entorno devido ao rápido aumento de registros de casos da Covid-19 no Distrito Federal.

O governador lembrou ainda que Goiás foi o primeiro Estado do Brasil a finalizar um hospital 100% dedicado ao tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus, o Hospital de Campanha para Enfrentamento ao Coronavírus (HCamp), em Goiânia. “Nosso hospital de campanha é o único no Brasil 100% terminado e dedicado à internação dos casos mais graves da doença”, sublinhou.

Isolamento social

Caiado reforçou a necessidade do isolamento social e advertiu a população da capital: “Goiânia está sendo um dos municípios que menos tem cumprido o isolamento social”. O dado foi repassado por uma plataforma vinculada a empresas de telefonia, que determina os índices de isolamento social baseados na localização de celulares. Apesar do estado de Goiás ter alcançado o melhor índice em todo o País (60%), o índice na capital recentemente caiu para 50%. “A partir daí nós podemos ter uma proliferação alta. Dos 115 casos que nós temos no Estado de Goiás hoje, mais de 60 casos são em Goiânia”, argumentou.

Outro alerta foi referente ao uso inadequado de medicamentos. O governador, que também é médico, pediu que a população evite a automedicação e esclareceu que o Governo do Estado tem seguido o protocolo mundial adotado para o combate ao coronavírus, o que inclui o uso de medicamentos combinados e não apenas a cloroquina. O medicamento usado no tratamento de doenças autoimunes ainda encontra-se em fase de testes em pacientes infectados com a Covid-19, entretanto, seu uso tem sido defendido pelo presidente Jair Bolsonaro. “O nosso protocolo em Goiás é o mesmo que se faz no mundo inteiro e existe também dentro do nosso protocolo a cloroquina. Neste caso nós não temos uma vacina, então nós estamos usando todo tipo de remédios, que já constam no protocolo”, explicou.

Medidas econômicas

Durante a entrevista, Caiado anunciou que foi aprovada hoje uma nova deliberação para o Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) que vai auxiliar na redução dos impactos da Covid-19 em Goiás. A medida prevê a liberação de capital de giro com taxa de 2,5% ao ano e com ampliação do prazo para pagamento. Os recursos serão destinados a micro, pequenas e médias empresas nos segmentos da indústria, comércio e serviços.

O Governo de Goiás também vai viabilizar linha de crédito por meio do programa “Goiás Empreendedor”. “Fiz a solicitação agora ao presidente do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] para que o Goiás Empreendedor possa ampliar a capacidade de empréstimo aos empresários”, divulgou.