WhatsApp Image 2020-06-22 at 14.54.22

“É indefensável alguém ter posição contrária a diminuir as desigualdades regionais”, diz Caiado

Em live diária, o governador e o líder do governo na Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto, destacaram aprovação de projetos importantes para os goianos, como o GoiásTec e o Protege

Em sua live diária, transmitida nesta quarta-feira (10/06) pelos veículos de comunicação da Agência Brasil Central (ABC) e parceiros, o governador Ronaldo Caiado recebeu o deputado estadual Bruno Peixoto, líder do governo na Assembleia. Na pauta, projetos importantes enviados pelo Executivo e aprovados pelo Legislativo goiano, em benefício da população em geral e, em especial, às famílias goianas em situação de vulnerabilidade social. Dois projetos aprovados em primeira votação, na tarde desta quarta-feira, tiveram destaque: o GoiasTec e o Protege.

O programa “GoiásTec – Ensino Médio ao Alcance de Todos”, protocolado no último dia 25 de maio, recebeu 13 votos favoráveis e 10 contra. “É uma tese indefensável alguém ter posição contrária a diminuir as desigualdades regionais”, frisou Caiado ao falar sobre a tramitação do projeto. “A nossa luta é para não construir dois “Estados” dentro de Goiás, um com qualidade de vida, IDH alto e oportunidades de emprego, e outro distanciado, com residências sem banheiro, sem educação de qualidade e sem emprego”, defendeu o governador.

O deputado Bruno Peixoto destacou a relevância da matéria. “Agora, a comunidade kalunga poderá ter acesso a ensino de qualidade, que será ministrado por professores com mestrado e doutorado. A sala de aula terá uma pessoa com a figura de monitor para repassar os questionamentos dos estudantes, via online”, detalhou o parlamentar.

A proposta nasceu na Superintendência do Ensino Médio da Secretaria Estadual da Educação (Seduc), com o objetivo de atender às unidades escolares da rede estadual que estejam localizadas em zona rural, distritos e regiões de difícil acesso ou que possuem déficit de áreas específicas de conhecimento, por meio da transmissão ao vivo de aulas via satélite.

Também aprovada em primeira votação, a matéria que altera a lei que institui o Fundo de Proteção Social do Estado de Goiás (Protege) recebeu 22 votos favoráveis e nenhum contrário. A aprovação foi elogiada e comemorada pelo governador e pelo deputado. A propositura busca estabelecer nova composição para o Conselho Diretor do Fundo, com a participação do titular do Gabinete de Políticas Sociais da Governadoria, órgão que acompanha políticas a ações sociais prioritárias da gestão estadual, comandado pela primeira-dama, Gracinha Caiado.

Isenção das contas de energia

Outro projeto de autoria da governadoria, aprovado no dia 2 de junho, também foi pauta da live entre Ronaldo Caiado e Bruno Peixoto. Mais de 50 mil famílias goianas que integram o Cadastro Único – que se configura como um conjunto de informações sobre a população em situação de pobreza e extrema pobreza, conforme definição do Ministério da Cidadania – vão ter isenção no pagamento da conta de energia. O benefício será concedido àqueles que consumirem até 220 KWh.

“Mesmo num momento de dificuldade como este da pandemia, inclusive com queda de arrecadação, o governo tem conseguido ajudar tanto a população”, elogiou o deputado, ao lembrar que, no início da gestão, Caiado agiu de forma contundente para extinguir o desequilíbrio fiscal no Estado, adotando medidas como o corte de três mil cargos comissionados e cinco mil gratificações.

De acordo com o governador, o Estado perdeu R$ 750 milhões em arrecadação de tributos nos meses de abril e maio, em função da crise econômica decorrente da disseminação do coronavírus. Na última terça-feira, 9 de junho, o Estado recebeu R$ 296 milhões do governo federal, como forma de compensação, mas ainda trabalha para cortar o prejuízo que fica, de R$ 454 milhões.

Rio Verde

Sobre a situação do município de Rio Verde, que registrou um grande aumento de número de casos da Covid-19, em função da contaminação de trabalhadores da BRF Alimentos, o governador informou que conversou sobre o caso com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e que busca ajuda também do Ministério da Saúde.

Os números atuais da doença no Estado; a regionalização da Saúde, com o fim da “ambulância terapia”; a negligência de alguns prefeitos que ainda permitem a abertura de bares e boates durante a pandemia; a aquisição de novos respiradores para o Estado e a criação de um fundo para qualificar o servidor público completaram a lista dos principais assuntos debatidos nesta quarta-feira.