WhatsApp Image 2020-07-14 at 13.41.36

Novo balanço da SSP aponta que Goiás segue vencendo batalha contra o crime

“Este é um compromisso do Governo: a sociedade goiana tem que viver com tranquilidade”, assegurou Caiado. Crimes letais intencionais fecharam em redução, com queda de 16,52% nos homicídios e de 37,14% nos latrocínios. Houve quedas em todas as modalidades de roubo e furtos, e não houve um assalto a banco sequer durante os seis primeiros meses de 2020

“Este é um compromisso do Governo: a sociedade goiana tem de viver com tranquilidade. Não pode ser admoestada por aqueles que acham que vão ter espaço na criminalidade e vão ter proteção ou vista grossa do Estado de Goiás. Eles terão sobre si a mão forte do governo. Nós não nos curvaremos a seja qual for o nível de criminalidade ou com quais proteções eles queiram se apresentar.” Estas foram palavras de um Ronaldo Caiado exultante com a constatação de que tem avançado a cada ano em uma de suas maiores prioridades: devolver Goiás aos goianos e torná-lo cada vez mais seguro para seus cidadãos.

A constatação se deu a partir dos indicadores de criminalidade relativos ao primeiro semestre de 2020, divulgados nesta terça-feira (14/7) pelo governador e pelo secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, durante a assinatura da sanção da lei que cria a Delegacia de Combate à Corrupção e a apresentação do balanço semestral da Secretaria de Segurança Pública (SSP-GO). E contra números, não há argumentos. Eles revelam a continuidade da queda expressiva nos índices de crimes violentos, como observado durante todo o ano de 2019. Na comparação dos primeiros seis meses deste ano com o mesmo período do ano passado, os crimes letais intencionais fecharam em redução, com queda de 16,52% nos homicídios e de 37,14% nos latrocínios. Os dados são do Observatório de Segurança Pública.

Houve redução em todas as modalidades de roubo, sendo a mais expressiva a de veículos (38,29%), seguido de roubo de carga (34,95%), a pedestres (29,13%) e a residências (19,58%). Outro dado de destaque: durante os seis primeiros meses de 2020, não houve nenhum registro de roubo a instituição financeira em Goiás. Os registros de furto também apresentaram queda: 24,39% de veículos; 3,58% a comércios; 24,05% a pedestres e 23,59% a residências. “A cada mês, nós estamos superando ainda mais. Não quero dizer que houve uma estagnação. É o combate diário continuado das nossas forças de Segurança para mostrarmos que nós não daremos espaço à criminalidade no Estado de Goiás”, frisou Caiado.

O secretário Rodney Miranda salientou que o combate à violência, ao crime organizado e à corrupção são políticas do Estado, e as ações seguem na mesma marcha pré-Covid, logicamente seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, a fim de preservar os profissionais. “Os números aqui apresentados não são da Secretaria de Segurança, da Polícia Civil, Militar, são números do Governo do Estado, capitaneado pelo governador Ronaldo Caiado. Isso aqui hoje é prestação de contas, transparência. É uma determinação expressa do governador que sigamos esta linha”, assegurou.

O vice-governador Lincoln Tejota destacou que a pandemia da Covid-19 tornou mais do que nunca importante mostrar como o recurso público deve ser bem gasto e pontuou: “Tenho convicção que dias melhores virão, correndo a este anseio da população. Vamos deixar uma marca linda. Não estamos trabalhando em algo que imediatamente o resultado aparece. Pelo contrário, ainda sofremos o revezes do fruto disto não ter acontecido lá atrás.”

Representando os demais poderes, o presidente do Tribunal de Justiça de Goiás, desembargador Walter Carlos Lemes, exaltou a “plena harmonia” e parabenizou Caiado pela seriedade de seu governo em contexto nacional e pela gestão da segurança em Goiás. O procurador-geral de Justiça, Aylton Vechi, frisou: “só há resultados para a sociedade se as instituições, resguardadas suas autonomias, agirem conjuntamente”.

Todo o bom desempenho não é coincidência. É fruto do trabalho árduo de forças de segurança cada vez mais equipadas, capacitadas e valorizadas. Durante o primeiro semestre de 2020, as forças policiais apreenderam mais de 24 toneladas de drogas e 3.115 armas; realizaram 689.251 abordagens policiais e efetuaram 5.157 prisões. Foram deflagradas ainda 10.540 operações, com 12.621 prisões em flagrante e 20.488 ações preventivas. De todos os inquéritos instaurados, 49% foram solucionados. A polícia científica emitiu 50.309 laudos de medicina legal e perícias.

Durante o balanço, foram mencionados os resultados de operações de vulto, como a 7º Selo, que desarticulou uma das maiores organizações criminosas da região da Vila Canaã e promoveu o bloqueio de aproximadamente R$ 40 milhões em bens. Também a Operação Ícarus, que desmobilizou um grupo responsável pelo tráfico de cocaína em Goiás, com R$ 16 milhões recuperados, apreensão de R$ 500 mil em dinheiro, 12 carros de luxo, dois aviões e um helicóptero.

Com relação ao combate à corrupção, no bojo dos resultados foram citadas a Operação Metástase, que desarticulou uma associação criminosa composta por antigos servidores do Ipasgo e do Ingoh responsáveis por realizar diversas fraudes, resultando no bloqueio de R$ 50 milhões; a Operação Mambaí, que desarticulou organização criminosa constituída por servidores da antiga Agetop; e a Operação Cegueira Deliberada, que apurou fraudes em licitação e desvios de recursos no Departamento Estadual de Trânsito (Detran), ocorridos entre 2015 e fevereiro de 2019. Resultou no bloqueio judicial de mais de R$ 44 milhões sobre os bens dos investigados, cumprimento de sete mandados de prisão e de 55 mandados de busca e apreensão.

Covid-19
Apesar das atenções hoje estarem voltadas para segurança pública, a temática Codiv-19 não foi esquecida. O governador Ronaldo Caiado prestou condolências à família de Vantuir Pinto Camargo, de 47 anos. O auxiliar de autópsia foi a segunda morte em decorrência de coronavírus na cidade goiana de Aragarças. Durante o balanço, também foram apresentadas as ações que a SSP vem encampando tendo em vista o enfrentamento da pandemia.

Dentre elas, a testagem em massa de agentes, com a realização de cerca de 30 mil testes e a vacinação contra H1N1; a arrecadação de alimentos e apoio na distribuição de 300 mil cestas básicas em parceria com a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG); os comboios de conscientização e limpeza de terminais por bombeiros; o empréstimo do pipetador automático Qiagility para o Lacen e insumos ampliando a capacidade de realização de detecção da COVID-19 com mais agilidade; e a produção 311 mil máscaras com mão de obra carcerária. Também foi destacado o trabalho do Procon Goiás para coibir preços abusivos de itens como álcool em gel e equipamentos de proteção individual (EPI’s), com quase 15 mil denúncias apuradas e mais de 100 produtos apreendidos.

A pasta ainda integra o Comitê Intersecretarial, criado por Caiado para acompanhar processos de compra ou contratações no período de emergência em saúde pública. O grupo também possui representantes da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), Controladoria-Geral do Estado (CGE) e Procuradoria-Geral do Estado (PGE). De acordo com Rodney, já foram gerados 154 relatórios e análises e classificação de 170 empresas fornecedoras. “Por que estou colocando isso? Porque, graças ao bom Deus, a gente não está sofrendo os contratempos que alguns estados e municípios [estão sofrendo] por compras, algumas até irregulares, que estão sendo apontadas diariamente.”

Também participaram a presidente da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), Patrícia Machado Carrijo; a procuradora-geral do Estado, Juliana Diniz; os secretários de Estado Henrique Ziller (Controladoria), Tony Carlo (Comunicação), Adriano da Rocha Lima (Governadoria); o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Renato Brum; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Esmeraldino Jacinto Lemos; o delegado-geral da Polícia Civil, Odair José Soares; o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Agnaldo Augusto da Cruz; o superintendente da Polícia Técnico-Científica, Marcos Egberto; os promotores de Justiça Carlos Wolff de Pina e Gabriela de Queiroz Clementino; e o titular do Grupo Especial de Combate à Corrupção, delegado Rômulo Figueiredo de Matos.