WhatsApp Image 2020-07-29 at 15.25.00

Obras em Porangatu: Governador é homenageado por alunos e professores

Comunidade escolar agradeceu o investimento de R$ 1,425 milhão na realização de reformas e ampliações de unidades da rede estadual

Durante a visita a Porangatu nesta terça-feira (28/07), o governador Ronaldo Caiado foi recebido com homenagens promovidas por educadores e estudantes da rede pública estadual. Com faixas e cartazes, a comunidade escolar agradeceu o valor de R$ 1,425 milhão que já está disponibilizado pelo Governo de Goiás para a reforma de unidades da rede pública e do prédio-sede da Coordenação Regional de Educação (CRE) de Porangatu.

Quatro escolas da Regional vão passar por reformas e ampliações. Um deles é o Colégio Estadual Chico Mendes, em Montividiu do Norte, município que está entre os mais vulneráveis, segundo o Índice Multidimensional de Carência das Famílias (IMCF). Os demais são de Porangatu: Colégio Estadual Stellanis Kopanakis Pacheco, Colégio Estadual Valdomiro Lopes e Colégio da Polícia Militar de Goiás (CPMG) Tomaz Martins da Cunha. As obras das unidades e da sede da Regional vão 2.520 estudantes, além de professores, gestores e pessoal de apoio.

Coordenador Regional de Educação de Porangatu, Ângelo Marcos de Souza destaca que grande parte das unidades escolares beneficiadas não passava por reformas há muito tempo. O colégio estadual de Montividiu do Norte é um deles. “Essa unidade foi fundada em 1978 e nunca passou por reforma e ampliação”, destacou. Segundo ele, a única melhoria realizada na unidade partiu de uma ação da comunidade escolar que, em 1986, se reuniu para construir o piso da quadra de esportes.

Neste ano, porém, a história do Colégio Estadual Chico Mendes está prestes a mudar. Além da reforma geral no prédio, os 245 alunos da unidade serão beneficiados com a ampliação da sede e com a cobertura da quadra poliesportiva. “A comunidade está surpresa. Não esperávamos por essas obras. Sem dúvida os benefícios trazem autoestima para os alunos, profissionais da Educação e os pais dos estudantes”, relatou Ângelo Marcos.