WhatsApp Image 2020-12-14 at 16.49.40

Governo de Goiás fecha parceria com União e prefeituras para ativar mais 110 leitos no Estado; 250 profissionais de saúde serão contratados para Hospital das Clínicas

A partir de segunda-feira (1º/02), já está prevista abertura de 14 leitos de UTI no Hospital de Campanha de Goiânia (HCamp), cinco em Porangatu e 11 em Senador Canedo, além de outros 20 de enfermaria. “Jamais haverá omissão e nem acovardamento diante das decisões necessárias”, afirma Caiado

O governador Ronaldo Caiado anunciou, nesta sexta-feira (29/01), durante entrevista à TV Anhanguera, que o Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Goiás (UFG), ampliará sua capacidade de atendimento para pacientes com Covid-19, por meio da contratação emergencial de mão de obra qualificada. Em outra frente de combate à pandemia, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) confirmou que começam a ser abertos, já na próxima semana, 110 novos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em vários municípios goianos.

“Falei com o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares [Ebserh], general Ferreira, que coordena todas as ações do HC. Conseguimos com ele, em tempo recorde, o recrutamento de mais pessoas para ampliar o número de leitos”, afirmou Caiado sobre a parceria fechada com o governo federal. “Vamos contratar cerca de 250 colaboradores até o dia 1º de fevereiro”, declarou o diretor do hospital, José Garcia Neto.

Já o trabalho em conjunto formatado com as prefeituras ganhou mais força depois da reunião realizada, na última quinta-feira (28/01), entre o governador, o prefeito da capital, Rogério Cruz, e equipes da área da saúde dos três maiores municípios do Estado – Anápolis, Aparecida de Goiânia e Goiânia. A ideia é que o grupo coordene um mapeamento compartilhado do número de leitos existentes, a fim de facilitar a transferência de pacientes graves entre os municípios goianos, quando necessário.

Esse raio X já permitiu à SES operacionalizar a ampliação de atendimento. Está prevista, já a partir da próxima segunda-feira (1º/02), a abertura de 14 leitos de UTI no Hospital de Campanha de Goiânia (HCamp); cinco em Porangatu; e 11 em Senador Canedo, além de outros 20 de enfermaria.

Também estão em preparação mais 10 leitos de UTI no HCamp de Itumbiara; além do redirecionamento para o enfrentamento à Covid-19 de 26 leitos de UTI em Nerópolis, e 10 em Trindade.

Além desses, o HCamp de Itumbiara disponibilizará mais 20 leitos de UTI, caso seja necessário. O Hospital de Doenças Tropicais (HDT), em Goiânia, também poderá ampliar a capacidade em mais 30 leitos de UTI; e outros 20 devem entrar em funcionamento no Hospital das Clínicas de Jataí.

No total, a parceria entre governos estadual e municipais resultará na ativação de 110 novos leitos de UTI, além da conversão de 36 leitos para pacientes da Covid-19 e das 20 enfermarias.

Hospital das Clínicas
O governador Ronaldo Caiado esteve em Brasília, na última quinta-feira (28/01), com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para tratar da ampliação de leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19 em Goiás. Preocupado com a segunda onda da doença e com a nova cepa do vírus, que tem uma transmissibilidade 10 vezes maior do que a verificada no ano passado, Caiado traçou medidas preventivas para que o Estado possa superar essa nova fase da pandemia, considerada mais delicada do que a primeira.

“Nós temos que enxergar como as coisas estão encaminhadas. Jamais haverá omissão e nem acovardamento diante das decisões necessárias”, pontuou. “Goiás nunca faltou com quem quer que seja, mas, ao mesmo tempo, precisamos de reciprocidade para trabalhar em benefício da população brasileira, não só do Estado”.

A contrapartida a que Caiado se referia foi proposta e aceita pelo governo federal. Como os HCs são vinculados ao Ministério da Educação (MEC), cabe ao Planalto o pagamento dos profissionais especializados que atuam no tratamento de pacientes acometidos pelo novo coronavírus.

Atualmente, o HC oferta 22 leitos de UTI e vai aumentar de 30 para 40 os de enfermaria para Covid-19. Mas está em negociação com o MEC, Ministério da Saúde, Ebserh, Governo de Goiás e Prefeitura de Goiânia a oferta gradual de até 120 leitos.