Foto: Cristina Cabral

Idosos atendidos pela OVG são imunizados contra Covid-19

Primeiras doses são aplicadas em moradores do Centro de Idosos Sagrada Família e Vila Vida, em Goiânia

“Alegria, não tem outro jeito de expressar o que estou sentindo nesse momento. Muita alegria e gratidão”. Essas foram as palavras da dona Anogair Rezende Pereira, de 87 anos, ao saber que seria vacinada contra a Covid-19. Aposentada, ela vive no Centro de Idosos Vila Vida há 24 anos e foi a primeira pessoa a ser imunizada na Organização das Voluntárias de Goiás (OVG).

Além dela, outros 102 idosos também receberam a primeira dose da vacina na última quarta-feira (20/01). Para José da Costa, de 93 anos, morador do Centro Sagrada Família, esse é um momento “de muita esperança e felicidade”.

A diretora-geral da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Adryanna Melo Caiado, compartilha do mesmo sentimento de dona Anogair e seu José. “É uma alegria muito grande saber que nossos idosos recebem hoje a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Todos eles fazem parte do chamado grupo de risco”, pontuou Adryanna.

A diretora ressaltou que, além da idade avançada, a maioria dos moradores mantidos pelas unidades da OVG tem comorbidades pré-existentes, como diabetes, hipertensão e problemas respiratórios. “Tudo isso, em caso de infecção pelo coronavírus, poderia resultar num quadro mais grave da doença. Agora, com a vacinação, ficamos bem mais tranquilos e confiantes. Vivemos um marco histórico”, comemorou Adryanna.

A presidente de honra da OVG e coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), primeira-dama Gracinha Caiado, lembrou que, desde o início da pandemia, os cuidados foram redobrados nas unidades que compõem a organização. “Instituímos protocolos rígidos para que o trabalho da OVG com quem mais precisa continuasse seguro, especialmente em relação aos idosos. Para protegê-los, a visitação foi restrita e os cuidados com a higiene intensificados”, detalhou a primeira-dama.

Presente na abertura da imunização das pessoas institucionalizadas – conforme prevê, nesta primeira etapa, o protocolo do governo federal -, o secretário municipal de Saúde de Goiânia, Durval Pedroso, falou sobre a importância do momento. “Hoje completamos mais de mil pessoas vacinadas na capital. Passamos por dez abrigos, promovendo essa imunização. Temos visto sinais muito positivos no incremento da produção dessas vacinas para que mais doses cheguem e possamos levá-las a ainda mais pessoas”, informou o secretário.

Esperança
Dona Anogair não conseguiu mesmo esconder a euforia. “Eu estou transbordando de alegria. Pensei que essa vacina demoraria muito tempo para chegar, pensava que morreria sem vê-la. E hoje, olha só, sou a primeira a vacinar”, comentou. Ela disse que seu maior desejo agora é que a pandemia passe e as atividades voltem ao normal. “Antes de tudo isso, eu ia à igreja todos os dias, passeava e até cuidava de um gatinho de rua aqui na redondeza. Mas, com esse vírus, não tem como fazermos nada disso, porque é perigoso, caso a gente pegue, né? Mas, olha, agora estou vacinada e pronta para vencer tudo isso”, afirmou, esperançosa.

Quem também não vê a hora de ver tudo voltando ao normal é o seu José. Morador do Sagrada Família há quatro anos, ele contou que, antes da pandemia, vivia tranquilo, sem medo de adoecer de repente. “Agora que fomos vacinados, acredito que esse receio vai diminuir. Essa vacina não é só uma injeção, é sinônimo de muita esperança e felicidade para todos que têm acesso a ela. Sou muito grato ao Governo de Goiás e à OVG por nos permitirem esse momento”, destacou.

Antes mesmo do início da campanha de imunização contra o coronavírus, a OVG já se preocupava com a segurança e saúde de todos os idosos que atende. Os colaboradores passaram por treinamentos específicos para evitar a contaminação, e também receberam máscara, touca e capote descartáveis no momento da chegada à instituição.