Foto: Lucas Diener

Em sessão inaugural do segundo biênio da Assembleia Legislativa, Caiado destaca parcerias para “escrever um grande momento na política do Estado”

Em discurso, governador apresenta balanço de gestão e metas para 2021. “O único objetivo é, independe da sigla partidária, construir uma governabilidade nesses dois últimos anos que nos faltam”, afirma

O governador Ronaldo Caiado participou, na tarde desta segunda-feira (15/02), da instalação da terceira sessão legislativa ordinária da 19ª Legislatura da Assembleia Legislativa de Goiás. “O único objetivo é, independe da sigla partidária, construir uma governabilidade nesses dois últimos anos que nos faltam”, disse Caiado aos deputados. “É com essa parceria que vamos escrever um grande momento na política do Estado”, completou.

Durante discurso, o governador reforçou a importância de haver um “ponto de concórdia” entre os Poderes. Para exemplificar, citou conquistas já garantidas a partir dessa boa relação, como a capacidade que o Estado adquiriu para renegociar suas dívidas, a alteração da política de incentivos fiscais, com a aprovação do Programa de Desenvolvimento Regional (ProGoiás), e a Reforma da Previdência.

“Aos deputados da base, meu muito obrigado. Aos de oposição, meu reconhecimento porque, em muitos momentos, contei com o espírito público de alguns que me ajudaram a aprovar matérias relevantes nessa Casa”, disse o governador.

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Bruno Peixoto destacou a seriedade com que Caiado tem conduzido o Estado e elogiou sua liderança e capacidade de gestão. “Goiás lidera vários rankings no Brasil, nos setores da educação, segurança pública, saúde e abertura de empresas, que gera empregos”, resumiu. Ele lembrou que o atual cenário é completamente oposto ao observado em 2018, quando os goianos sofriam as consequências de uma má gestão. “Observe e compare. Esse é um governo que tem feito, dado resultado e mostrado à sociedade.”

Ao reforçar que Caiado tem “mudado os rumos de Goiás”, com a redução de custos da máquina pública e a apresentação de orçamento transparente, o líder governista ainda chamou a atenção para seu compromisso com o Poder Legislativo. “Independentemente de base ou oposição, houve pagamento das emendas [parlamentares impositivas]. Não houve contingenciamento. Isso é democracia, respeito pelo Poder Legislativo, o que em 2018 não tínhamos.”

Já em nome da oposição, o deputado Francisco Oliveira reconheceu que o atual cenário “exige convergência de forças para que Goiás não fique estagnado e continue crescendo”. Ele afirmou que já compartilhou da mesma linha política que Caiado, mas que as circunstâncias os levaram a trilhar outros rumos, “o que não significa que não podemos lutar por um mesmo objetivo: o progresso do Estado”. O parlamentar garantiu que a oposição vai trabalhar de forma propositiva, coerente e a favor do povo goiano, em qualquer situação.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Lissauer Vieira, comentou sobre o conteúdo da mensagem do governador aos parlamentares e à população durante a sessão solene. “É para mostrar o que foi feito ao longo dos dois anos de mandato, bem como os planejamentos a partir de agora, de 2021. Sabemos que vivemos um período de extrema dificuldade por conta da pandemia, de apreensão da população, mas que o governo está tentando abrir novos leitos, conscientizar a população para termos um pouco mais de tranquilidade”, destacou o parlamentar.

Balanço e metas para 2021
A sessão, ocorrida no plenário Getulino Artiaga, foi marcada por um breve balanço dos primeiros anos de gestão e apresentação de metas para 2021. Sobre este último, o governador Ronaldo Caiado assegurou que “a prioridade máxima e total” é vacinar a população contra a Covid-19.

Também para este ano, Caiado mencionou a formação de novas parcerias com municípios e o governo federal para avançar em outra área essencial, que é a assistência social. “Terá uma proporção maior a partir de agora”, assegurou. No cenário econômico, a meta, agora, é a melhoria da nota de Goiás no Tesouro para que o Estado possa voltar a pedir créditos com aval da União.

O governador disse que, primeiro, colocou “a casa em ordem” a partir do pagamento de dívidas herdadas pela gestão passada, como repasses de recursos aos prefeitos, inclusive a contrapartida da saúde, a quitação de folhas de pagamento em atraso, bem como do transporte e merenda escolares e, ainda, o honorário dativo de advogados.

Depois, avançou significativamente na educação, saúde, segurança pública e outros setores do Estado. “Nosso único objetivo é construir, no final do mandato, um Estado de Goiás mais digno para todos os 7,2 milhões de goianos. Que a pessoa se sinta respeitada e que o dinheiro seja corretamente aplicado”, arrematou.

Estiveram presentes o vice-governador de Goiás, Lincoln Tejota; o vice-presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Zacarias Neves Coêlho; o deputado federal José Nelto; o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz; o procurador geral do Estado, Aylton Vechi; o defensor público-geral do Estado, Domilson Rabelo; o corregedor geral do Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO), conselheiro Sebastião Tejota; e os secretários de Estado Alan Farias Tavares (Casa Civil), Ernesto Roller (Governo), José Vitti (Indústria, Comércio e Serviços) e Tony Carlo (Comunicação).