Foto: Kattia Daniel

Secretaria da Economia e PRF apreendem carga irregular de etanol avaliada em R$ 400 mil

Flagradas em posto policial da BR-153, em Jaraguá, duas carretas bitrem com 60 mil litros de combustível cada e com nota fiscal inidônea estão agora em Goiânia, onde permanecem até identificação do dono da carga. Ação ocorre dentro da estratégia de combate à sonegação fiscal e à concorrência desleal realizada pelo Governo de Goiás em parceria com órgãos federais

Auditores fiscais da Secretaria de Estado da Economia em ação conjunta com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) flagraram duas carretas com 120 mil litros de álcool hidratado com nota fiscal inidônea para evitar o pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). O fato ocorreu no posto policial da BR-153, em Jaraguá, na segunda-feira (12/04), no final do dia. Os caminhões bitrem foram trazidos para Goiânia, com escolta da PRF, e estão estacionados na porta da secretaria, na Avenida Vereador José Monteiro, Setor Nova Vila, onde permanecem até a identificação do dono da carga apreendida.

O supervisor de Fiscalização da Delegacia Regional de Fiscalização de Goiânia, Adalberto Constantino revela que as carretas vinham de Paulínea (SP), com destino ao Piauí, para uma empresa inexistente naquele Estado. Como a transportadora é do Maranhão, a suspeita é que seja a dona da carga, por possuir rede de postos de combustível lá.

“Estamos investigando o verdadeiro comprador do álcool e contamos com a ajuda da DOT [Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária] na investigação para a lavratura do auto de infração de aproximadamente R$ 100 mil, entre ICMS sonegado e multa”, afirma o supervisor. O valor de cálculo do produto foi de R$ 406 mil nas duas carretas, com 60 mil litros cada uma.

O combate à sonegação fiscal integra o plano de ações da Receita Estadual, que é executado em Goiás mesmo na pandemia. “Por meio dessas fiscalizações realizadas nas ruas, podem-se detectar grandes sonegadores que concorrem de forma desleal com aqueles que pagam seus impostos em dia. A sonegação é crime e, assim sendo, não pode ser tolerada pelo gestor público”, afirma a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, após elogiar o trabalho do fisco com a Polícia Rodoviária Federal.