Caiado contra bebidas alcoólicas na Copa

O deputado Ronaldo Caiado (Democratas) destacou ontem durante votação da Lei Geral da Copa do Mundo 2014 a necessidade de rejeitar a liberação da venda de bebidas alcóolicas nos estádios. Ronaldo Caiado lembrou que o Ministério Público Federal apresentou estudos técnicos que comprovam que a violência diminuiu substancialmente após a proibição da venda de bebidas alcóolicas nos estádios do País.

O deputado também criticou a tentativa do Executivo de impor uma pauta a Câmara sendo que já foi discutido, votado e aprovado o Estatuto do Torcedor  que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estádios. E disse que o governo “empurra com a barriga” os preparativos para a Copa nas áreas de infraestrutura, mobilidade urbana e nos estádios.

“O governo demorou para tomar decisões que só estão sendo implementadas agora depois de reclamações da FIFA e do Secretário Executivo da entidade, que disse que o ‘Brasil merecia tomar um chute no traseiro'”, disse Caiado, relembrando a fala do secretário geral da FIFA, Jérôme Valcke.

Ronaldo Caiado relembrou que as leis do País não podem ser alteradas para atender desejos particulares de uma cervejaria. O deputado falou ainda que foi graças a um gesto do presidente da Casa, deputado Marco Maia (PT-RS), que foi possível o acordo que também prevê a votação do Novo Código Florestal ainda em abril.

Caiado puxa coro no Twitter contra álcool nos estádios da Copa

Durante a votação que estabeleceu a urgência da votação da Lei Geral da Copa do Mundo, o deputado Ronaldo Caiado usou o seu IPad, no plenário, para promover um debate no Twitter sobre a liberação da bebida alcoólica nos estádios. A proposta prevista dentro da Lei Geral gerou grande repercussão e promete ser polêmica. “Eu vou votar contra a liberação de bebidas alcoólicas na Copa do Mundo. Qual a sua opinião? A favor ou contra?”, tuitou o deputado. Bastou para o deputado receber mais de 300 “mentions”, quando o tuiteiro se dirige a quem ele segue. Caiado disse que vai votar contra a liberação da bebida nos estádios. “A lei é clara e não devemos mudá-la para satisfazer FIFA. Aqui não é país de bananas muito menos República de Bananas #Copa2014semálcool”, tuitou, criando a tag #Copa2014semálcool para marcar o debate. “Estão iludindo os brasileiros. Querem confundir liberdade com interesses da Fifa/cervejaria. #Copa2014semálcool”, complementou. Muito tuiteiro levantaram questionamentos interessantes. “engraçado q a França não mudou a lei qdo começaram a proibir propag de cigarro na formula 1. Agora querem q mudemos a nossa”, tuitou @jairarci. Caiado ainda levantou a questão da saúde. “Sou ortopedista e sei bem dos males que o álcool causa ao organismo. Seja direta ou indiretamente. Futebol, torcida e álcool não combinam”, escreveu. Caiado finalizou dizendo que vai lutar para derrubar a venda de álcool nos estádios.