Caiado vai convidar Mujica a falar no Senado sobre confissão de Lula no Mensalão

17221897120_d7a3c431be_zO líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), vai ingressar com um requerimento de convite ao ex-presidente uruguaio, José Mujica, para colher mais informações sobre a confissão de Lula no seu envolvimento no Mensalão.

O documento que vai ser apresentado à Comissão de Relações Exteriores da Casa cita trecho de um livro-reportagem em que Mujica narra um encontro que teve com Lula em 2010, onde o ex-presidente brasileiro afirmou que esse esquema de corrupção “era a única forma de governar o Brasil”. A revelação do trecho é fruto de uma reportagem do jornal O Globo desta sexta-feira (08/05)

“A acusação é muito séria, até porque é a própria esquerda brasileira que trata Mujica como uma espécie de mártir e coloca sua índole acima de qualquer suspeita. Se ele diz que o ex-presidente Lula não só confirmou ter conhecimento sobre o Mensalão, como admitiu que era a sua única forma de governar o país, isso coloca em xeque toda a tese que o inocentou do esquema”, defende Caiado.

O convite se estende ao ex-vice presidente do país, Danilo Astori, que, segundo Mujica, estava na sala e também ouviu a confissão do petista. Para o democrata, o elo entre os escândalos do Petrolão e do BNDES com o Mensalão pode estar na figura do ex-presidente que não chegou a ser atingido pelo julgamento no Supremo Tribunal Federal.

“As investigações do Mensalão pararam justamente quando estava a centímetros de chegar em Lula. É preciso acabar com essa barreira imaginária de proteção ao Palácio do Planalto. A Lava Jato não pode cair no mesmo erro de isentar Dilma e Lula”, defendeu

Foro de São Paulo
Ao comentar sobre a intimidade que fez Lula confessar um escândalo de corrupção de proporções inéditas no país com um chefe de Estado de um país vizinho, Ronaldo Caiado também lembrou a aproximação de lideranças de esquerda na América Latina através do Foro de São Paulo.

“Todos esses modelos de desvio de dinheiro público para a perpetuação no poder fazem parte de uma continuidade do mensalão e tem ajudado, não só o PT no Brasil, como outros tiranetes mundo afora. É o modelo adotado pelo Foro de São Paulo, financiado principalmente pelo Estado brasileiro e disseminado entre as lideranças de esquerda da América Latina”, concluiu.

Caiado critica caderno de teses do PT que pede “demissão de ministros capitalistas”

17051871750_d0b67ee130_zEm discurso no plenário, líder também afirmou que homenagem de Governo de Minas a Stédile “faz Jucelino se revirar no túmulo”

O líder do Democratas no Senador Federal, Ronaldo Caiado, chamou de “afronta” um caderno de teses elaborado pelo PT e divulgado em seu site oficial para ser discutido em um congresso partidário marcado para junho. 

Em discurso em plenário nesta quarta-feira (22/04), o senador listou propostas como a “demissão de ministros capitalistas”; dar calote nas dívidas interna e externa; tornar inimputável movimentos sociais; e até mesmo “estatizar a Rede Globo e abrí-la para os movimentos sociais”.
“É sintomático que os dirigentes petistas gestados nessa política partidária tenham o DNA do autoritarismo, da aversão à democracia, do desrespeito à imprensa livre e da utilização das instituições como ferramentas de corrupção para a sua manutenção no poder”, afirmou Caiado.
Entre as demandas do documento divulgado pelo próprio partido, ainda está a cassação de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que votaram pela prisão de petistas no Mensalão; a reestatização de empresas e serviços privatizados; e a liberdade imediatas de todos os dirigentes do PT.
“O caderno chega ao cúmulo de pedir para livrar qualquer movimento social da criminalização. Querem criar uma nova casta, onde CUT, MST e outros grupos ficariam inimputáveis. Livres para agir como os coletivos de Maduro, na Venezuela”, denunciou.
Medalha a Stédile
Ronaldo Caiado também afirmou em seu discurso que a decisão do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, em conceder a Medalha da Inconfidência ao líder do MST, João Pedro Stédile, faz Juscelino Kubitschek, idealizado da medalha em 1952, “se revirar no túmulo”.
“Como homenagear com uma medalha que remete a Tiradentes um sujeito que disse que, em caso de um processo aberto de impeachment, as forças da América Latina seriam convocadas para invadir Brasil? Um cidadão tão antiquado, tão ultrapassado que ainda investe contra a ciência em nosso país, invade propriedades produtivas e é considerado por Lula como ‘dono’ de um exército que causa arruaça por todo o país sob seu comando? Juscelino deve estar se revirando no túmulo”, criticou.

Caiado: Prisão de Vaccari abre caminho para PT perder registro de partido político

16243972837_c775168ec5_zO líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), comentou a prisão do tesoureiro do PT, João Vaccari, acusado de articular o desvio de recursos públicos para abastecer o caixa 2 do partido. Sua prisão, na manhã desta quarta-feira (15/04), é a segunda de um tesoureiro do PT em menos de cinco anos.

“O PT não tem credencias de partido político, e sim de lavanderia. O partido é reincidente ao ter o tesoureiro Vaccari, sucessor de Delúbio Soares, flagrado e preso por arrecadar dinheiro desviado de empresas públicas para alimentar suas campanhas e encher os bolsos de seus dirigentes”, comentou o democrata.

Para Caiado, a reincidência de irregularidades no alto escalão do legenda já é o suficiente para colocar em suspeição a legitimidade do grupo partidário e da reeleição da presidente Dilma.

“Diante desse cenário, tudo caminha para que o PT perca o registro de partido político. E, comprovado que a presidente Dilma foi beneficiada por esse esquema em suas campanhas, será mais que suficiente para ela perder o mandato por corrupção”, afirmou.

Delação
Para Ronaldo Caiado, a única oportunidade de João Vaccari se livrar de uma punição máxima entre os envolvidos na Operação Lava Jato seria em um acordo de delação premiada, onde ele poderia ajudar a Polícia Federal a chegar aos verdadeiros chefes e mentores do Petrolão.

“Vaccari tem a chance de falar a verdade e não arcar sozinho com as consequências. Pode denunciar os verdadeiros chefes desse esquema”, sugeriu.

Caiado pede convocação de Berzoini e auditoria do TCU sobre rombo no Postalis

16697967707_6499e195f9_z
O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado (GO), protocolou nesta segunda-feira (23/3), requerimento de convocação do ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini. O senador pede explicações sobre o rombo de R$ 5,6 bilhões do Postalis, fundo de pensão dos Correios, que agora, conforme reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, deverá ser compensado com quase 26% dos salários dos funcionários da estatal a partir de abril de 2015. Além disso, Caiado enviou requerimento de informação ao Ministério da Previdência com questionamentos sobre a evolução do patrimônio do fundo e auditorias realizadas desde 2010. O parlamentar ainda deu entrada em requerimento de pedido de auditoria pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em relação à administração do fundo.

Ronaldo Caiado também protocolou requerimentos de convite do presidente dos Correios, Wagner Pinheiro, – no cargo por indicação do ex-ministro petista Paulo Bernardo, – de Antônio Carlos Conquista, diretor-presidente do Postalis e do diretor-superintendente da Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), órgão responsável pela fiscalização dos fundos de pensão. “É inaceitável que o funcionário dos Correios pague pela gestão fraudulenta do Postalis. Pelo visto, o esquema de corrupção do mensalão, que começou nos Correios, continuou firme e forte. Será que querem que os servidores arquem com o prejuízo quietos? Os gestores desse fundo devem responder por esse absurdo. Não é de hoje que venho denunciando os desmandos nos fundos de pensão”, afirmou Caiado.

Saiba mais
Os requerimentos de convocação e convite foram protocolados na Comissão de Fiscalização e Controle. Já o requerimento de informação foi encaminhado ao Ministério da Previdência, órgão responsável pela Previc e pede informações desde 2010: todos os relatórios, auditorias ou qualquer outro instrumento de fiscalização em relação ao fundo de pensão Postalis; todas as informações constantes em qualquer banco de dados da Previc que diga respeito ao fundo; toda e qualquer notificação, advertência, punição ou correspondência entre a Previc e o Postalis.

Caiado quer cópia do depoimento de ex-presidente da Portugal Telecom sobre propina negociada por Lula

11085541635_c7748ba004_zO líder da Oposição no Congresso Nacional, senador eleito Ronaldo Caiado (Democratas-GO), anunciou que vai pedir o conteúdo do depoimento dado por Miguel Horta e Costa, ex-presidente da Portugal Telecom, investigado em seu país pelo pagamento de de € 2,6 milhões (euros) em propina ao PT mediante negociação com o então presidente Lula.

O depoimento foi feito no dia 9 de janeiro no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) português, onde Horta e Costa é investigado por “corrupção no comércio internacional”. No Brasil, a Polícia Federal abriu um inquérito mantido em sigilo e chegou a pedir às autoridades portuguesas uma cópia do depoimento, que já teria sido entregue, segundo reportagem do jornal O Globo desta sexta-feira (23/01). Caso não tenha acesso ao material aqui no país, Caiado informou a intenção de criar uma comissão externa no Senado para acompanhar as investigações no país lusitano.

“Vamos agir em duas frentes: primeiro vou solicitar ao procurador Rodrigo Janot o envio de informações sobre o depoimento do ex-executivo da Portugal Telecom. Se ele não teve acesso ao processo que corre em Portugal, então nós vamos propor a criação de uma comissão externa do Senado para ir lá acompanhar o processo. Precisamos fechar o cerco que não se concluiu com a investigação do Mensalão”, explicou o democrata.

O democrata se refere a uma afirmação feita por Marcos Valério em 2012, de que a Portugal Telecom financiou o PT durante o Governo Lula em troca de uma facilidade na compra da Telemig. O dinheiro, de acordo com o publicitário mensaleiro, teria sido negociado diretamente entre o então presidente Lula e o então presidente da empresa portuguesa em encontro no Palácio do Planalto.

“Assim como o Petrolão só começou a ser desvendado após o Ministério Público holandês investigar propinas pagas à Petrobras, este caso da Portugal Telecom pode nos trazer informações cruciais que levem ao grande operador dos esquemas de propina, roubo ao dinheiro público e financiamento ilegal de campanhas milionárias do PT”, afirmou o senador.

Caixa 2

Ainda de acordo com Marcos Valério, a transferência do dinheiro seria feita por uma fornecedora da Portugal Telecom em Macau (China) para a conta de publicitários que prestavam serviços de campanhas do PT. Valério citou uma viagem realizada por ele e seu ex-advogado, Rogério Tolentino, a Portugal, em 2005, como prova da existência do acordo.

Caiado diz ser inaceitável vitimizar mensaleiros

O líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO) disse ser “deplorável” o movimento do PT que tenta transformar a prisão dos mensaleiros em um ato político. Em discurso no plenário, o parlamentar afirmou que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) se reencontrou com o sentimento da população brasileira, após frustrar a todos com os embargos infringentes.

Caiado disse que todas as provas foram trazidas, demonstradas e explicitadas desde a CPI dos Correios, depois pela Procuradoria Geral da República e pelo STF. “É inaceitável vir aqui agora dizer que o julgamento foi político, em que nós sabemos que na composição daquela corte há oito membros indicados pelo Governo do PT”, disse.

Ronaldo Caiado disse não admitir a tentativa de trazer para a Câmara um jogo de governo e de oposição. “Este Parlamento tinha que ter um ponto de concórdia. Seja lá quem for que tenha praticado a corrupção, o uso indevido da máquina pública, ele não pode aqui ser elogiado, nem enaltecido como herói. Ele tem que ser reconhecido sim como criminoso. E como tal, tem que pagar a pena que a Justiça determinou”, disse.

O deputado ainda disse que o Democratas deu exemplo de combate à corrupção. Já cortamos na carne, e os senhores nunca viram aqui nós assomarmos à tribuna para fazer aqui a defesa de quem quer que seja que não se tenha comportado dentro das regras da ética e da moralidade na prática política. Fomos os primeiros a tomar essa iniciativa. Expulsamos, excluímos, retiramos dos quadros do nosso partido todos aqueles que traíram o programa, a doutrina, como também a esperança e o respeito da população brasileira”, disse.

O parlamentar disse ser inadmissível o PT enaltecer aqueles que foram condenados e querer tratá-los como presos políticos. O deputado disse que os mensaleiros são políticos presos pela prática da corrupção. “Esta é a verdade que tem que ficar clara para toda a sociedade brasileira. Essas pessoas não são heróis. Essas pessoas prestam um desserviço à política nacional”, disse.

Caiado disse não ser possível confundir os sinais e que a pena que foi dada tem que ser cumprida. “Como médico que sou, tem a minha solidariedade as pessoas com problemas de saúde. Mas isso não diminui, não minimiza a prática criminosa que tenha feito naquele momento, querendo agora se beneficiar pelo seu estado de saúde”, disse.

O deputado encerrou ao dizer que acredita que mesmo político com prestígio, mesmo sendo da base do governo ou da oposição, amanhã poderá ser preso e ter a mesma sentença que o cidadão comum.

“Prisões de mensaleiros foram dentro da lei”, diz Caiado

O líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO), considerou as prisões dos condenados no processo do mensalão “dentro da lei”. O parlamentar lembrou que a denúncia na imprensa foi feita pelo ex-deputado Roberto Jefferson em 2005, que depois veio a CPI dos Correios, o inquérito policial, denúncia do Ministério Público e condenação no STF (dos 11 ministros, oito indicados pelo PT). “Só depois de oito anos, após um processo longo, com amplo direito à defesa, os mensaleiros foram para a cadeia”, disse.

Ronaldo Caiado afirmou ainda que tem esperanças de que uma nova era se inicie no País. “É preciso virar essa página triste da história brasileira e mostrar que vamos viver uma era onde corrupto ladrão de dinheiro público também vai para a cadeia”, disse. O líder disse ainda que a tentativa petista de transformar os condenados em presos políticos é infundada. “São políticos corruptos presos”, disse.

O líder disse ainda que José Dirceu, Delúbio Soares e companhia terão que pagar essa dívida com a sociedade. “Agora é ficar de olho para que chicanas não tirem os mensaleiros da cadeia. Não está fácil. A pressão e as denúncias dos próprios ministros do STF apontam para uma manipulação do tribunal. Denúncia séria que merece ser esclarecida”, afirmou.

Caiado contrapôs a atitude petista com a tomada pelo Democratas em casos onde filiados cometeram erros. “O nosso partido sempre deu exemplo de combate à corrupção, nunca defendeu nem passou a mão na cabeça de quem errou. Nenhum partido tomou atitudes como a do Democratas. Pelo contrário, mensaleiros foram transformados em heróis por petistas”, disse.

O deputado ainda defendeu a perda automática de mandatos dos mensaleiros condenados pelo STF. “Basta a mesa convocar o suplente. STF já determinou a perda do mandato”, disse.

STF frustra população, desacredita instituições e dá sensação de vazio cívico, diz Caiado

A validação dos embargos infringentes para o julgamento do mensalão é a decisão mais nefasta do Supremo Tribunal Federal, na opinião do líder do Democratas na Câmara dos Deputados, Ronaldo Caiado (GO). O deputado comentou há pouco o resultado que beneficia 12 condenados no processo julgado ano passado.

“Essa decisão frustra e desacredita a população brasileira diante de um crime praticado em 2005 e que todos imaginavam que esse capítulo havia se encerrado. É um momento em que o cidadão brasileiro se sente totalmente desprotegido. Agora, o Supremo Tribunal Federal dá a chance de tudo o que sociedade acompanhou com o julgamento do mensalão seja rediscutido com o risco de que vários dos condenados sejam beneficiados com a redução de penas, absolvição ou até prescrição dos crimes. A sensação do povo brasileiro é de vazio cívico, de descrença, decepção.”, lamenta o parlamentar.

De acordo com o líder do Democratas, a admissibilidade dos embargos infringentes desacredita as instituições, fundamentais no processo democrático. “Essa decisão será recebida pela população da mesma maneira que recebeu a absolvição do Natan Donadon na Câmara dos Deputados. Isso desmoraliza as instituições e caminha para a ruptura do processo democrático no País”, pondera.

“Isso só acontece no julgamento de quem tem poder aquisitivo capaz de contratar grandes escritórios de advocacia e tem o poder de circular nos corredores dos poderes com muita desenvoltura e capaz de conseguir essa ferramenta a mais para poder cancelar um julgamento e reiniciar um outro”, afirma.

Dos 12 condenados agora beneficiados com o recurso acolhido pelo STF estão João Paulo Cunha, José Genoíno, José Dirceu e Marcos Valério. Esta foi a primeira vez que a suprema corte brasileira julgou um embargo do gênero em ações penais.

Partido Democratas relembra Mensalão

“Que fique claro para a sociedade que quem usar a máquina pública será condenado”, afirmou Caiado

Ronaldo Caiado disse acreditar que a impunidade não vai prevalecer no julgamento do Mensalão.