WhatsApp Image 2018-04-12 at 15.01.28

Governo de Goiás abandonou saúde do estado causando fila de 55 mil pessoas para realização de cirurgias eletivas, diz Caiado

Senador comentou pesquisa que apontou: 53,1% dos goianos colocam a saúde como principal problema a ser atacado pelo estado
Ronaldo Caiado propõe hospitais de campanha para sanar déficit de cirurgias eletivas e auditorias nas OS´s para garantir aplicação correta do dinheiro público
O senador Ronaldo Caiado (Democratas) disse nesta quinta-feira (12/4) que o governo Marconi Perillo abandonou a saúde do estado causando uma fila de 55 mil pessoas para realização de cirurgias eletivas. Para o líder do partido no Senado, o ex-governador vendeu a ilusão ao goiano de que iria melhorar a infraestrutura de hospitais do estado, mas deixou Goiás entre os piores do país no atendimento à saúde. Caiado comentou a pesquisa Serpes/O Popular que apontou que 53,1% dos goianos colocam a saúde como principal problema a ser atacado pelo estado. Conforme o parlamentar, o colapso do setor ocorreu pelo descaso do governo que destinou muita verba para propaganda de hospitais que nunca saíram do papel ou que estão sem condições de atendimento.
Ele lembrou o recente levantamento do Conselho Federal de Medicina (CFM), que coloca o estado como o terceiro com maior déficit de cirurgias eletivas no Brasil – 55.195, pessoas que aguardam para serem operadas de catarata, varizes ou vesícula. Médico e profundo estudioso da área, Caiado propõe o levantamento emergencial de hospitais de campanha para zerar esse déficit e um entendimento com a rede privada que atende o SUS para complementar a assistência e garantir maior qualidade e eficiência no atendimento da população.
“Vejam vocês a radiografia da saúde no nosso estado de Goiás. O Conselho Federal de Medicina em seu último levantamento mostra que o estado de Goiás tem uma fila de 55 mil goianos esperando cirurgias eletivas. Esse quadro é caótico. Nós estamos entre os três piores estados no que diz respeito à atendimento na área da saúde. Esse colapso se deu exatamente porque o governo nunca se ocupou nesses últimos 20 anos do setor. Não é ficar apenas ficar dizendo que vai construir hospitais, é para colocá-los para funcionar. Existe sempre àquela ilusão de uma parede que é levantada, um hospital que é prometido, mas a parede em si não opera paciente, não atende às pessoas”, atestou Caiado.
”O que nós queremos, mais do que nunca, diante desse desafio, é, se pudermos chegar amanhã ao governo do estado, implantar, em caso emergencial, hospitais de campanha, hospitais pré-moldados para que rapidamente possamos atender milhares e milhares de goianos que estão ansiosos e desesperados para serem atendidos”, acrescentou.
Organizações Sociais 
 
O senador também defende uma auditoria nas organizações sociais que administram unidades de saúde do estado, já que existem uma série de denúncias de desvio de recursos para caixa dois de campanha eleitoral e enriquecimento ilícito.
“Não podemos admitir mais a situação das OSs (Organizações Sociais) sem que seja feita uma auditoria profunda para que a gente possa ter a certeza que o dinheiro está sendo usado corretamente para atender os goianos e não para promover o enriquecimento ilícito de tantas pessoas. O que nós precisamos é de fazer com o que o cidadão goiano tenha condições de ter assistência médica.  Além do mais, quero dizer que tenho a coragem de enfrentar esse debate e promover um grande entendimento com a rede privada que atende pelo SUS e ter um complemento para desafogar essa fila que tanto tem judiado e matado nosso povo nesses últimos 20 anos”, afirmou.