fotoLeandroVieira (2)

Em festa pelos 84 anos, ladeado por Caiado e Daniel, Iris defende união das oposições

Em clima festivo pelos 84 anos de vida do prefeito de Goiânia Iris Rezende (PMDB), a oposição demonstrou nesta sexta-feira (22/12) sinais claros de convergência para a tese da união em 2018. O discurso de unidade para as próximas eleições foi defendido tanto pelo prefeito quanto pelo senador Ronaldo Caiado (Democratas), pelo deputado federal Daniel Vilela (PMDB) e pela primeira-dama Íris de Araújo.

“Temos que fazer (a união). É momento de reflexão e humildade e que o espírito público prevaleça. Temos que fazer política movidos pelo espírito público”, sublinhou Iris Rezende em entrevista à imprensa, quando questionado se trabalharia pela união da oposição.

Apontado como timoneiro desse processo, o peemedebista garantiu que está focado na administração mas também participando das discussões. “Sou mais um integrante dos partidos que representam a oposição em Goiás. Tenho um compromisso de nunca ficar distante do processo. É claro que não posso confundir a recuperação de uma administração com o pleito que será realizado, mas estarei presente e participando e estou certo de que todas as lideranças da oposição vão ter competência para realizar um grande projeto”, afirmou.

A fala do prefeito ocorreu pouco depois de Ronaldo Caiado e Daniel Vilela darem um indicativo forte de proximidade e diálogo. Em um abraço longo e bem-humorado, o senador brincou dizendo “aqui é para ganhar a eleição”.

Na sequência, Daniel Vilela deixou claro em entrevista que o diálogo entre ambos sempre ocorreu. “Nós nunca deixamos de nos encontrar, mas hoje viemos todos aqui em deferência ao aniversário do nosso líder maior Iris Rezende. Temos conversado constantemente e as coisas estão caminhando no seu devido tempo”, disse. “Tenho certeza que vamos acertar. O cenário é muito favorável para a oposição, e as pesquisas têm demonstrado claramente que o goiano deseja mudança e renovação. Temos que construir um projeto focado nessa perspectiva e nesse ambiente”, avaliou.

Também questionado sobre a sinalização, Ronaldo Caiado garantiu que não há outro caminho. “Significa o que vai acontecer, se Deus quiser: a unidade das oposições. É isso que todas as nossas lideranças e o sentimento do povo de Goiás espera nesse momento. Que os líderes maiores tenham bom senso, tenham equilíbrio, tenham sensatez de ter um candidato único dentro das regras e critérios a serem determinados”, afirmou.

O parlamentar aproveitou para destacar o papel primordial que Iris Rezende desempenha no processo. “Eu nunca me enganei. É fundamental. Sabe por quê? Porque quando ainda existia certa dúvida sobre quem deveria ser candidato a prefeito de Goiânia em 2016, fui enfático: só teremos chance de chegarmos ao governo de 2018 se nós tivermos Iris Rezende prefeito da cidade de Goiânia. Nunca tive dúvida. Precisamos de um timoneiro, um líder, aquela figura que pode colocar as mãos e dizer que este é o candidato da unidade. A figura dele é balizadora do processo de 2018”, disse. “Não existe candidatura sem unidade e sem o Iris sendo o timoneiro do processo”, reforçou.

A primeira-dama Íris de Araújo também reforçou a tese predominante na oposição. “É fundamental. As oposições unidas terão a oportunidade de ter um único pensamento e uma única visão programática. São todos os partidos que não concordam com esse governo. Não é poder pelo poder, é usar o poder para mudar e isso só vai acontecer se estivermos unidos. Sou peemedebista, fundadora do PMDB, e estarei lutando até o último instante para que haja essa união. Enquanto não tivermos um pensamento de união, não teremos como enfrentar uma máquina tão poderosa e tão inescrupulosa como é a máquina do governo”, defendeu.

Presidente da Câmara de Goiânia, o peemedebista Andrey Azeredo conclamou a todas as lideranças a participaram dos diálogos. “Eu vejo que todas as forças políticas de Goiás que têm o mesmo objetivo, que é fazer com que Goiás prospere de forma real e veemente, com uma política diferenciada, podem e devem dialogar ao máximo e buscar união e convergência de ideias e política para que possamos eleger um governador que represente os anseios do goianos”, afirmou.

foto rádio

Caiado: “Estaremos unidos. Não menosprezem a força da oposição unida”

Em entrevista na manhã desta quinta-feira (21/12) à rádio Bons Ventos, o senador Ronaldo Caiado (Democratas) falou sobre o novo momento político e a necessidade de aglutinar forças para vencer uma disputa contra a máquina de governo. Definindo o apoio até o momento de nove siglas ao projeto da oposição, o parlamentar afirmou que é preciso valorizá-las no processo eleitoral.

“Não se pode menosprezar os partidos de oposição que querem compor um projeto. São eles hoje que têm o maior número de vereadores em Goiânia no interior. Eles nos dão capilaridade. Unida a oposição tem muita força”, afirmou.

Ao analisar a sua vida pública e seu atual momento no cenário estadual, o senador destacou o amadurecimento político como um fator importante neste momento de articulações.

“Nesse período, aprendi e todos devemos aprender a ter humildade e reconhecer nossos acertos e erros, para não repeti-los e assim devemos proceder nas eleições de 2018. Não tem porque irmos com a oposição dividida para 2018. Isso não está no meu radar. Acredito que o bom senso vai prevalecer”, reforçou.

Para o senador, uma candidatura ao governo tem um caráter abrangente que precisa ser considerado. “A eleição majoritária é construída por meio de coligações e não é individualizada. E deve ter um candidato capaz de aglutinar as lideranças e militância e todos os quadrantes do estado. Já vivi mais da metade da minha vida, e é hora de retribuir aquilo que tenho mais orgulho que é ser goiano. Não se trata de projeto pessoal, mas de produzir um resultado que seja para o povo do meu estado”, disse.

Na entrevista, Ronaldo Caiado também falou sobre os desafios assumidos por pessoas que assumem o poder. “Quem assume o poder deve ser desprovido de vaidade e não usá-lo como projeto pessoal. Ele deve cumprir sua tarefa para dar qualidade de vida ao povo e depois sair de cabeça erguida”, disse.

fotocaiado

Oligarquia dos carrapatos deixa Goiás em situação de anemia profunda, diz Caiado

Oligarquia dos carrapatos deixa Goiás em situação de anemia profunda, diz Caiado 

Em artigo publicado em sua página na internet, o senador Ronaldo Caiado detalha o quadro de anemia profunda que Goiás atingiu após 20 anos de um grupo político no poder. O presidente regional do Democratas denomina esse grupo de “Oligarquia dos Carrapatos”. Caiado menciona a péssima qualidade dos serviços públicos, a situação de falência do estado e apresenta números para comprovar o quadro crítico instalado em Goiás, durante o governo de Marconi Perillo. O senador ainda destaca a importância da conscientização do povo goiano de não dar mais espaço para políticos que agem apenas em nome dos seus próprios interesses e privilegiar a mudança que o estado precisa a partir de 2019.

O democrata apontou que, além da gestão que afundou o estado, Perillo e seu grupo político acumulam escândalos: “E se não bastasse isso, assistimos aos escândalos que se acumulam. Seja na Farra das Diárias de Marconi. seja asfaltando a fazenda de vice-governador, os exemplos são muitos. Hoje podemos comparar Goiás a uma vaca leiteira campeã em produtividade que, nos últimos anos, se viu esquálida, cadavérica, com anemia profunda”, disse.

Caiado mostrou que no governo de Perillo, Goiás perdeu capacidade de investimento e caiu no ranking nacional da competitividade. Entre 2015 e 2017, o estado caiu três posições e está em 13º lugar, abaixo da média nacional, segundo o Centro de Liderança Pública (CLP). “Os números às vezes podem parecer frios ou distantes para a população. Mas não se engane: ela está atenta. Me deparo sempre que percorro as cidades goianas com pessoas que questionam onde foi parar o dinheiro do Estado. Uma coisa é certa: não estão nas obras públicas. Levantamento do Tribunal de Contas do Estado (TCE) disponível no site https://geoobras.tce.go.gov.br/ mostra um quadro assustador. De 830 obras (entre hospitais, rodovias, escolas) que o governo iniciou em 2004, apenas 317 foram concluídas – pouco mais de um quarto do total.O enredo todo mundo conhece: o governo anuncia as obras, faz toda a propaganda, para abandonar tudo depois. Quando se aproximam novas eleições, a Oligarquia de Carrapatos volta refazendo as mesmas promessas. Das 342 obras em andamento atualmente, 255 estão com prazos vencidos e sem conclusão. Existem obras que datam de 2004 e continuam esperando a boa vontade do governo. Até quando?”, questionou Caiado.

O parlamentar ainda mencionou a dilapidação do patrimônio do Estado, com a venda da Celg a preço de banana, enquanto assumiu dívidas bilionárias da empresa que ficarão na conta dos goianos. A Saneago, que foi objeto de propagandas que prometiam garantia de água até 2025, não tem gestão eficiente para combater a maior crise hídrica já vivida pelos goianos.

O senador reitera a falta de segurança, educação, saúde, infraestrutura e reforça que o único caminho para Goiás é combater essa “Oligarquia de Carrapatos” :“E é por isso que o tempo da Oligarquia de Carrapatos precisa mais do que nunca ser combatido com inteligência e determinação da população. Este é hoje o único caminho para que Goiás volte a ter perspectiva de crescimento e de atender as demandas da sociedade em suas necessidades e direitos mais elementares. Diferente do que pode pensar o governador Marconi Perillo e seus seguidores, cargo Público não é algo para auferir benefícios a quem o ocupa, mas sim atender a sociedade como um todo. Ao se defrontarem com o Estado na situação em que vive – endividamento, corrupção, entrega das estatais, criminalidade disseminada, facções comandando -, os goianos esperavam que o governador Marconi assumisse o enfrentamento da crise que é consequência da sucessão de seus mandatos”.

E finaliza ao dizer que é possível reerguer Goiás e ver o estado novamente ser notícia como referência de produção, trabalho e eficiência. “É importante a sociedade se conscientizar cada vez mais e ter uma maior iniciativa para que no primeiro dia de 2019 possamos iniciar um processo de transfusão de energia, com coragem e trabalho de todos nós goianos. Acreditem: é possível reerguer Goiás e fazer dele novamente um Estado que seja referência de ética, dignidade e respeito aos goianos. Para isso, basta trabalhar em defesa dos cidadãos e oferecer um Estado que funcione, livre dessa Oligarquia de Carrapatos”.

WhatsApp Image 2016-12-06 at 16.44.25

Caiado será relator de PEC que impede réu penal em chefia do Executivo

O líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), será o relator em comissão da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 5/17, que busca impedir que réus em processos penais assumam cargo de chefia de Poder nas esferas municipal, estadual e federal. A PEC é de autoria do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES).

De acordo com o texto proposto, o Artigo 2º da Constituição seria alterado tornando “incompatível com o modelo republicano nacional” que a Presidência, governos de Estado e prefeituras sejam exercidos por alguém nessa condição. O mesmo vale para vices e todos na linha sucessória. A PEC ressalta que, se a ação penal for anterior, fica proibido de forma absoluta o acesso ao cargo. Se for posterior, é determinado o afastamento no prazo máximo de quarenta e oito horas.

“É um tema de grande relevância nacional neste momento e que precisa ser apreciado com muita seriedade. O Senado não pode virar as costas para o interesse público que está claramente pedindo mais rigor no combate à corrupção”, ressaltou Caiado.